Ora aqui têm um pequeno resumo do que mais gosto de comer na quarentena e, na verdade, também fora da quarentena!

De manhã começo logo com muita água. Eu não compro água engarrafada porque acho um verdadeiro desperdício de plástico, para além de não a achar mais saudável do que a água da torneira. Todos os dias fervo cerca de 2,5L de água que guardo em jarras de vidro e vou enchendo a minha garrafa reutilizável ao longo do dia. Há quem comece o dia com água com limão, eu acho que umas gotinhas de limão não fazem qualquer diferença na água (é um mito), mas muita água de manhã é ótimo para limpar todas as toxinas que o corpo esteve a libertar ao longo da noite. Ao mesmo tempo começa a trabalhar o aparelho digestivo lentamente para preparar para o pequeno-almoço.

Antes de me levantar da cama estico-me toda, espreguiço-me bem, para começar a activar todos os músculos, espreguiçar as ossadas e por o sangue a fluir.

O meu pequeno-almoço varia bastante mas o mais comum (mais prático e rápido) é um bom pão de fermentação natural, biológico, com manteiga de oleaginosas ou azeite. Gosto especialmente de pão de arroz integral ou de aveia. Eu compro uma grande quantidade de pão que fatio e congelo, depois basta por na torradeira para aquecer. Todos os dias faço um sumo com fruta da estação e pelo menos um legume.

O pequeno-almoço do meu filho varia todos os dias. Entre cereais integrais, papas de cereais (de arroz, de millet, de quinoa ou de aveia) com fruta, pão, panquecas, iogurte com granola, enfim, todos os dias ele gosta de escolher um pequeno-almoço diferente e este do vídeo não é necessariamente o mais comum, mas foi o que ele quis naquele dia.

Ao almoço gosto de legumes variados crus, frutas, tudo da estação. Misturo cereais integrais cozidos – geralmente cozo um cereal integral em maior quantidade no inicio da semana que me dá para o resto da semana, em infinitas variações: como-o simples, em hambúrgueres, em croquetes, em dips, etc. Juntar uma fruta fresca ou seca ao almoço faz com que não tenha vontade de comer algo doce (aka sobremesa) depois do almoço ou snackar algo doce mais tarde.

Como leguminosas todos os dias, que demolho e cozo em casa, e tenho sempre congeladas. Descongelo de um dia para o outro ou então, em SOS, despejo-lhes água a ferver (foi o caso neste dia!). As leguminosas cozidas em casa são mais nutritivas e mais facilmente digeríveis do que as enlatadas. Irei fazer um vídeo só sobre este assunto porque merece. Lentilhas, feijão, grão, ervilhas, favas, todas entram no meus prato seja ao almoço seja ao jantar, seja nos dois.

Os snacks e lanches variam sempre entre fruta fresca, azeitonas, tremoços, sementes, oleaginosas ou biscoitinhos e bolachas feitos em casa.

Ao jantar, ao contrário do que se costuma fazer, eu gosto de comer mais. Geralmente nunca opto por uma “refeiçãozinha leve” porque é a altura que eu mais gosto de comer e mais tenho fome! Por esta razão prefiro comer bastante cedo, por volta das 19h, para poder fazer a digestão antes de ir para a cama e ter um bom período de jejum até acordar, muito importante para a saúde do corpo. Neste dia fiz uma sopa de miso com noodles, uma das minhas refeições preferidas e que me reconforta o estômago e a alma! Como esta sopa é incrível vou fazer um vídeo dedicado só a ela!

Aproveite que está em casa para cozinhar para si, escolher bons ingredientes, de produção local, da estação, e não desperdice nem uma folhinha!

Stay safe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*